Piauí
Gildásio Guedes garante que será "reitor de todos" e reage às críticas veja o Vídeo: 20/11/2020

Nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro como novo reitor da Universidade Federal do Piauí, o professor Gildásio Guedes garante que fará uma gestão de “portas abertas”.

 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, Gildásio Guedes garante que será um “reitor de todos e não, de alguns”. Ele também reagiu às críticas de ter sido escolhido por Bolsonaro mesmo sem ter ficado em primeiro lugar na lista tríplice dos mais votados na eleição da Ufpi.

 

O novo reitor promete “recuperar a universidade de todas as formas”. Gildásio Guedes adianta que tornará a extensão obrigatória em todos os cursos de graduação.

 

“O meu desejo é recuperar a universidade de todas as formas, principalmente a graduação. A graduação precisa ser trabalhada, reconstruída, inclusive os índices de desempenho, esse vai ser o grande desafio. Depois disso a gente precisa fortalecer o que a gente já vem fortalecendo nos últimos tempos, que é a pesquisa e a extensão. A extensão tem sido uma ação da universidade permanente, mas ela agora vai ser sistematizada e oficializada e vai ser obrigatória em todos os cursos de graduação uma carga horária de extensão. O outro desafio será o gerenciamento mesmo, motivar os professores, gestores, chefes de departamento e professores a cuidar da UFPI como sempre cuidamos e continuar crescendo”, adiantou.

 

Ensino híbrido

 

O novo reitor também comentou a possibilidade da Ufpi adotar o sistema de ensino híbrido onde os alunos podem assistir aulas de forma remota ou presencial. 

 

"Temos que nos reinventar. Eu defendo que a graduação use todos os recursos possíveis para que ela não pare no tempo em virtude desse mal que nos assola, esta pandemia que a gente viu que teve um começo, mas quase todos os meses a gente vê que não tem fim. Então, nós temos que nos reinventar. E se a reinvenção passar pelo ensino híbrido nós vamos ter que adotar também", disse.

 

Mais bolsas

 

 

Gildásio Guedes promete incentivar a permanência dos alunos na universidade implementando mais bolsas aos estudantes. Para ele, é preciso fazer muita coisa para diminuir a evasão na UFPI.

 

"Uma política da minha vida, desde muito jovem quando cheguei na universidade, é de observar o aluno para que ele se mantenha na universidade, a permanência na universidade, principalmente daquele aluno que tem mais dificuldades.  Essa permanência é melhorada quanto mais assistência ou mais bolsas de iniciação científica, bolsas de monitoria e outros tipos de bolsa são incrementadas. Então nós temos esse compromisso. Sou um professor que sempre esteve próximo do alunado, então essa proximidade do alunado fez com que eu tivesse muito mais votos dos alunos. Não é toa", declarou.

 

Reação às críticas

 

O professor Gildásio reagiu às críticas que vem recebendo sobre ter sido nomeado reitor pelo presidente Jair Bolsonaro, mesmo tendo ficado em 3º na lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação.

 

O mais votado – levando em conta o percentual de votos para os professores que têm peso de 70% e os estudantes e servidores de 15% - foi o professor André Macedo. Gildásio Guedes ficou em terceiro e Nadir Nogueira, atual vice-reitora, em segunda colocação.

 

Se a votação fosse universal – sem levar em conta o percentual dos professores, estudantes e técnicos – o professor Gildásio seria o mais votado na consulta à comunidade universitária.

 

O novo reitor diz que está tranquilo, garante que foi escolhido democraticamente e o que é dito ao contrário são "ruídos, narrativas e versões".  Ele defende que a democracia é o voto da maioria e não o "voto da fórmula".

 

"Eu reajo muito à vontade. A questão da lista tríplice é uma legislação específica sobre isso. Tudo que foi feito na eleição foi coordenado pelo reitor e ele coordenou inclusive as normas da eleição e ele todo dia me dizia que não pode fugir da lei e a lei é clara, fala de lista tríplice mas não fala de primeiro lugar, segundo lugar, terceiro lugar, não fala nem em mais votado. Em termos democrático eu fui o mais votado e tudo foi baseado na lei. Eu sou um homem de dentro da lei. Se fosse mesmo a rigor, não tinha nem outro candidato, só eu, porque fui o único que seguiu todos os parâmetros, ninguém incorreu nada contra mim", disse.

 

O professor afirma que as críticas serão aceitas e diz que não faz parte de nenhum segmento.  O novo reitor garante que é do P.U, o "Partido da Universidade".

 

"A universidade é esse mundo e eu estou acostumado. Tem segmento A, segmento B, segmento C, talvez até achem que eu faça parte de algum segmento e eu faço mesmo sabe qual é? o segmento PU. Partido da Universidade.  40 anos, eu fiz mais por essa universidade do que muitos reitores sem ser reitor".

 

Ligação do presidente

 

Gildásio Guedes negou que tenha recebido uma ligação do presidente Jair Bolsonaro, onde o Chefe do Executivo lhe comunicava sobre sua escolha para a reitoria da UFPI.

 

O novo reitor afirma que foi escolhido baseado em análise técnica e por ser o "mais preparado".

 

"Não tive contato com Bolsonaro, meu contato é com a universidade, com os setores da universidade que nos apoiaram, com outros setores, a própria sociedade piauiense. Mas, não tive contato com Bolsonaro. Eu fui escolhido porque houve análise técnica e na análise técnica tem o tempo de serviço, prestação de serviço e a governabilidade. Dentre esses 4 segmentos fui avaliado com o melhor, eu não estive atrás de A, B ou C. Eu até acho que tem mais gente que queria que eu fosse reitor do que eu mesmo", declarou.

 

Reitor de todos

 

O novo reitor se apresenta como um homem que "tem medo de Deus".

 

"Os homens que têm medo de Deus são envolto pela justiça", diz Gildásio, que promete transformar a UFPI em uma instituição de maior credibilidade e com mais serviços prestados à comunidade.  A nova gestão da Universidade Federal do Piauí afirma que será "de portas abertas" para os alunos, professores, funcionários e sociedade em geral.

 

"Serei o reitor de todos e não de alguns. Vamos abrir a universidade para a sociedade piauiense e para as necessidades piauienses.  Não devemos colocar empecilhos burocráticos para ter convênios, a Universidade será aberta, democrática, participativa e com resultados", adianta.

 

Posse

 

A posse do novo reitor deve ser realizada nesta sexta-feira (20) de forma remota. Em seguida, haverá a transmissão do cargo na UFPI.

 

Gildásio Guedes Fernandes é formado em Matemática pela Universidade Federal do Piauí, com mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade de Campinas e doutorado em Educação, pela Universidade Federal do Ceará, com ênfase em Tecnologias Digitais. Atualmente é Diretor do Centro de Educação Aberta e a Distância (CEAD/UFPI). O vice-reitor é o professor doutor Viriato Campelo, do Centro de Ciências da Saúde.

 

 

Fonte: cidadeverde.com