Brasil
No Dia Mundial da Saúde, Brasil tem pouco a celebrar 07/04/2021

Embora o Brasil tenha pouco ou quase nada a festejar- mergulhado numa crise sanitária sem precedentes históricos-, o calendário marca, hoje, o Dia Mundial da Saúde uma celebração instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1948, como ponto de reflexão para que se redobrem os cuidados nessa questão, especialmente no que se refere à saúde pública. 

 

Hoje em dia, nem mesmo a OMS que criou a homenagem vive bons momentos, vítima de inimigos que têm a missão nefasta de desacreditar a instituição e a própria ciência. São visíveis e notórios os esforços de governantes e seus fanáticos seguidores e diminuir o papel da OMS, na tentativa de tornar insignificante essa histórica e benéfica instituição mundial.

 

Ao criar essa comemoração, a OMS teve por objetivo conscientizar a população a respeito da importância de manter o corpo e a mente saudáveis e também falar de alguns problemas de saúde que atingem a população mundial, alertando sobre os riscos e ensinando sobre a prevenção, com um alerta vigoroso sobre as dificuldades de saúde vividas por diversos da África, da Ásia e das Américas, muitos deles submersos a longos anos de guerras internas, como é caso de diversos países africanos, nos quais as doenças se proliferam e se transformam em epidemias graves.  

 

 

No caso atual do Brasil, tem-se um quadro de profunda gravidade trazido pelo domínio do Coronavírus, agravado por um sistemático esvaziamento do Sistema Único de Saúde – SUS, com cortes expressivos nos orçamentos públicos, e uma desavergonhada campanha de descrença nas recomendações científicas relacionadas sobretudo à prevenção da COVID-19. Por falta de uma política mais rígida de isolamento social ao longo de mais de um ano da doença, o Brasil já ostenta mais de 13 milhões de infectados e mais de 340 mil pessoas já perderam a vida. 

 

A cada ano um tema relacionado com a saúde é escolhido e abordado ao redor do mundo por meio de campanhas de conscientização. No ano de 2015, por exemplo, o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde foi Segurança alimentar, do campo à mesa, um tema que enfoca a necessidade de todos terem acesso a alimentos de qualidade, em quantidade adequada e de modo permanente.

 

Outros temas já trabalhados no Dia Mundial da Saúde foram Doenças transmitidas por vetores (2014), Hipertensão (2013), Envelhecimento saudável (2012) etc. Em 2016, o tema abordado foi Diabetes, uma doença que apresenta grande crescimento na população mundial, principalmente em países de baixa e média renda. O tema abordado em 2017 foi a Depressão, um transtorno que afeta pessoas de todas as idades. Em 2018, o tema foi Saúde para todas e todos e, em 2019, Cobertura universal de saúde.

 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, saúde pode ser definida como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade”. Isso quer dizer que uma pessoa saudável não é apenas aquela que não apresenta doença, mas, sim, aquela que está bem consigo mesma e também apresenta uma boa relação com a sociedade.

 

Fonte: Meio Norte